Cirurgia Plástica

Você já quis parecer um pouco mais jovem? Ou melhorar alguma parte do seu corpo que não te deixa feliz? Se sim, com certeza você também já pensou em fazer uma cirurgia estética. Um simples procedimento que pode até alisar as rugas da testa, por exemplo.

Os procedimentos mais sofisticados podem levantar (lift, em inglês, conhecido como “fazer um lifting”) uma área da pele que esteja flácida ou até remover gordura em excesso da barriga ou das coxas. A cirurgia estética, quando feita por profissionais experientes, pode ter efeitos excelentes no modo como uma pessoa se sente e é vista pelos outros.

A confiança e a auto-estima adquiridas podem afetar quase todos os aspetos da vida. Se você pensa que só as pessoas idosas e grisalhas procuram melhorar o seu aspecto, está muito enganado. Estatísticas recentes revelam que cerca de 40% das operações de cirurgia estética são feitas em pessoas entre os 35 e os 50 anos, e 27% em pessoas entre os 19 e os 34 anos. E querer melhorar o corpo não é, ao contrário do que muitos pensam, atributo apenas das mulheres: calcula-se que uma em cada quatro intervenções estéticas são feitas em homens.

A cirurgia sempre oferece riscos

Só porque uma cirurgia é classificada como estética, isso não significa que seja isenta de riscos. Para evitar alguns desses riscos tenha cuidados antes de fazer a sua cirurgia. Evidentemente, algumas serão mais seguras do que outras, mas a verdade é que qualquer intervenção cirúrgica pode trazer complicações aos pacientes. Infecção, desfiguração, paralisia e até a morte são possíveis ocorrências em quase todos os tipos de cirurgia. Calcula-se que a probabilidade dessas complicações em operações de estética não é maior do que qualquer outro tipo de cirurgia. Mesmo quando uma operação transcorre sem problemas, a pessoa pode não ficar totalmente satisfeita com o resultado.

A fotografia digital e os programas de imagem computorizada podem dar-nos uma boa ideia de como ficará o nosso nariz, rosto ou barriga mas, a aparência final depois da intervenção, depende muito da experiência do cirurgião e de fatores específicos de cada um, como o tipo de pele, a estrutura óssea, a capacidade de cicatrização e o estado geral de saúde.

Fale com o seu cirurgião sobre as suas expectativas depois da cirurgia, sobre o resultado final que você deseja e tudo que esteja relacionado ao procedimento que você deseja fazer. Um profissional experiente irá te ajudar a se preparar para o fato de que o resultado final pode nem sempre corresponder às suas expetativas.

Os custos

A cirurgia plástica pode ser atendida pelo Sistema Único de Saúde, o SUS. Antes de decidir se submeter a uma intervenção cirúrgica, faça um cálculo das despesas com honorários médicos e pagamento de todos os serviços, incluindo sala de operações, anestesista, medicamentos e consultas antes e depois da cirurgia. Certifique-se também das condições em que poderá ser feita uma nova intervenção, caso o resultado da primeira não fique como o esperado.

Por outro lado, tomar decisões baseadas exclusivamente nos custos pode não ser a atitude mais sensata trazendo futuras complicações. Por isso recomendamos que você procure ouvir outras opiniões, e certifique-se de que uma intervenção que requeira anestesia geral não seja realizada apenas sob efeito de anestesia local e que uma outra que exija a realização em meio hospitalar não seja efetuada numa unidade deficiente, sem os equipamentos necessários.

Contudo, o fato dos custos serem muito elevados neste tipo de cirurgia também não é garantia de que tudo corra de acordo com o planejado. Uma informação correta sobre quais são os requisitos da intervenção que você pensa fazer e a perícia e reputação do cirurgião permite limitar o risco de possíveis problemas e é meio caminho andado para assegurar o êxito dos resultados.

 

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *